Naara ganha medalha de ouro na ONHb

Hoje nós vamos falar sobre a História da Naara e de uma de suas últimas conquistas.

Naara Cristina tem 18 anos e atualmente está cursando o terceiro ano do Ensino Médio. A bolsista nasceu em São Paulo, mas logo cedo veio morar em Fortaleza. Durante a premiação da OBMEP, a aluna conheceu a Primeira Chance, através de panfletos entregues por uma das integrantes da nossa equipe, projeto que logo lhe causou interesse. Na primeira tentativa, Naara não consegue entrar na Associação, mas no ano seguinte tenta novamente, e então tudo muda.

No final de semana dos dias 17 e 18 de agosto, Naara conquista medalha de ouro na ONHb (Olimpíada Nacional de História do Brasil).

Mas como essa paixão começou?

Conversamos com a bolsista e a mesma nos contou que antes até se interessava pela área de exatas e pretendia fazer carreira. Então um dia ela resolveu se inscrever na ONHb só para participar, e a partir daí a história começa.

A formação da equipe foi o primeiro desafio, visto que uma das integrantes era novata na escola, mas após algumas conversas, elas descobriram alguns gostos em comum, e logo elas resolveram chamar outra amiga para participar da Olimpíada. Durante o processo de preparação, o encanto de Naara pela área de história começou a aumentar. Após a aprovação para a última fase, ainda faltava superar mais um desafio – o transporte de Fortaleza para Campinas. Mas graças a parceria da Primeira Chance com a Gol isso logo foi resolvido.

A bolsista relatou que foi uma viagem marcante, achou Campinas uma cidade limpa e bem cuidada; nas suas palavras: “coisa de cinema”.

O mais interessante de tudo isso é o relato que Naara deu sobre o momento do início da premiação:

Um pouco depois que a premiação começou, uma integrante da minha equipe se emocionou, nós achávamos que nosso texto não tinha ficado bom e estávamos até desacreditadas de receber uma medalha, o que era um pouco triste já que esse era o nosso último ano de participação na ONHB, daí ela disse “eu queria tanto que a gente tivesse ganhado alguma coisa” e nós choramos juntas, e eu chorei porque pensei que devia ter me esforçado mais para “dar” a medalha a ela. Todas as medalhas de bronze e prata foram entregues, e quando começaram e distribuir os ouros, eu tinha certeza que nós não ganharíamos, e isso tornou o momento da premiação muito inesperado e ainda mais feliz.

Naara ganhou, junto à sua equipe, medalha de ouro na ONHb. A bolsista é um exemplo para muitos e, mais do que isso, é reflexo do trabalho da Primeira Chance e da ajuda de todos os nossos doadores.

Porque talentos precisam de oportunidades.

Receba nossa newsletter por email.